Alvo de investigação por torturar animais, Aurora Alimentos responde com comunicado genérico

- visualizações

Alvo de investigação por torturar animais, Aurora Alimentos responde com comunicado genérico

Não financie isso: seja vegano.


120 pessoas agradeceram por este conteúdo.


A empresa brasileira de produtos de origem animal Aurora Alimentos está no centro de uma investigação internacional conduzida pela ONG norte-americana Mercy For Animals.

Ao exibir cenas da criação de porcos gravadas em uma das fazendas que fornece para a Aurora Alimentos (assista ao vídeo – atenção: imagens fortes), a Mercy For Animals faz um apelo para que o Grupo Pão de Açúcar, principal revendedor da Aurora Alimentos, não aceite vender produtos de empresas que utilizam celas de gestação e que fazem certos procedimentos sem anestesia como retirada de dentes e de rabos.

As imagens mostram porcas confinadas em pequenas celas, um pouco maiores do que seus corpos, mantidas apenas para procriação de animais que serão assassinados para a produção de carne. Após sua vida útil à empresa, elas também são mortas. Os bebês, como é padrão em toda a indústria, gritam de dor enquanto têm seus dentes e rabos cortados para evitar o canibalismo comum a esses animais em ambientes estressantes.

Nós do Vista-se temos uma visão diferente sobre o apelo da Mercy For Animals ao Grupo Pão de Açúcar. Não acreditamos que um possível compromisso do Grupo Pão de Açúcar em vender produtos de porcos criados fora de celas de gestação e/ou com dentes e rabos retirados com anestesia teria algum efeito positivo.

Talvez isso até faria com que a rede de supermercados vendesse ainda mais produtos feitos com porcos, usando o possível compromisso como uma ferramenta de marketing. Isso, no fim, faria com que um número ainda maior de animais fossem mortos.

O Grupo Pão de Açúcar já usa o chamado “bem-estar” animal para vender mais produtos de origem animal. Atualmente, uma linha de ovos vendida na rede traz a palavra “livres” bem grande na parte da frente da embalagem (veja aqui), com o intuito de passar a mensagem ao consumidor de que tudo bem comprar aquele produto, já que as galinhas que produzem aqueles ovos são criadas fora de gaiolas. Sobre como elas terminam, a embalagem não diz. “Fora de gaiolas”, além de tudo, quer dizer apenas “dentro de um grande barracão”, e não “livres e felizes” como a empresa tenta convencer o consumidor.

No fim do vídeo sobre os porcos, a Mercy For Animals diz – e aí sim alinhada com o que pensamos – que a melhor forma de ajudar os animais é deixando-os fora do prato.

Em sua página oficial no Facebook, a empresa Aurora Alimentos, que tem o ex-tenista Guga como garoto-propaganda, tem recebido uma enxurrada de críticas sobre o caso. Como resposta, a empresa coloca o link de um comunicado vazio, genérico, que não trata do caso em si (veja aqui).

É importante ressaltar que as práticas mostradas na investigação são o padrão da indústria e não acontecem apenas com os produtos da Aurora Alimentos. A única forma de não financiar esse tipo de tratamento aos animais é praticar o veganismo.


Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade:

120 pessoas agradeceram por este conteúdo.