Brasileira JBS-Friboi, maior matadouro de animais do mundo, é condenada novamente por trabalho escravo

- visualizações

Brasileira JBS-Friboi, maior matadouro de animais do mundo, é condenada novamente por trabalho escravo


5 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Ele teve a ideia de matar animais para vender e foi além

Fundada em 1953 por José Batista Sobrinho (JBS), a  JBS-Friboi foi a primeira empresa a se estabelecer como frigorífico no Brasil. No ano de sua fundação, era apenas um açougue e uma unidade de abate com capacidade de 5 bois mortos por dia, na cidade de Anápolis-GO. Hoje, é a empresa que mais mata animais no mundo, presente nos 5 continentes. Além dos matadouros, a JBS tem algumas divisões e está presente em outros mercados ligados ao seu, como no caso da “JBS Envoltórios”, que “realiza a seleção e calibração de tripas resultantes do abate de bovinos para atender o mercado de invólucros de embutidos, como mortadelas, salames, lingüiças, salsichas, entre outros”, como se orgulha em seu site.

A empresa também está envolvida na exploração e morte de milhões de vacas leiteiras ao ano, já que também comercializa produtos derivados de leite como cream cheese e requeijão, que são exportados para Europa e para alguns países da África. Nos últimos anos, a JBS se envolveu também com abate de frangos, porcos e desenvolvimento de tecnologia de confinamento de bovinos, entre outras coisas. A tecnologia de confinamento fará, em breve, com que a pecuária bovina brasileira seja semelhante à criação suína, ou seja, os animais serão criados imóveis ou em espaços significativamente reduzidos para possibilitar o aumento da produção, à medida que a demanda por carne e derivados sobe nas mesas dos países emergentes.

Não bastassem os rios de sangue que a empresa fundada por José Batista provoca, ela ainda é uma das campeãs brasileiras no quesito trabalho escravo. Desta vez, a unidade de Vilhena (RO) foi condenada a pagar R$ 3 milhões em indenizações aos seus colaboradores. O Ministério Público do Trabalho (MPT) já havia condenado a unidade de Barra do Garças (MT) a pagar R$ 1 milhão por sonegar direitos básicos aos seus funcionários, em setembro deste ano.

Triste é saber que o governo brasileiro acha a pecuária um grande negócio, apoiando com um Ministério quase exclusivamente dedicado a ela, investindo bilhões de reais através do BNDES e não levando em consideração os prejuízos ambientais, éticos e também na área da saúde, através dos milhares de funcionários deste setor que chegam ao SUS e ao INSS.

De milhão em milhão, a JBS, bem como os outros matadouros do Brasil, somam multas que praticamente não ferem seu capital e seguem em seu negócio bilionário e cruel. Por ano, a JBS-Friboi fatura mais de R$ 51 bilhões matando animais, desrespeitando trabalhadores e destruindo áreas de floresta para fazer pasto.

Não apoie empresas como a JBS-Friboi, seja vegana(o). Saiba como começar em www.sejavegano.com.br.


Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade:

5 pessoas agradeceram por este conteúdo.