Curta-metragem do Vista-se mostra a transferência dos ursos Verrú (antes Dimas) e Mizar (antes Kátia)

- visualizações

Curta-metragem do Vista-se mostra a transferência dos ursos Verrú (antes Dimas) e Mizar (antes Kátia)

Assista agora.


43 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Assista ao vídeo | YouTube

Ajude o Rancho dos Gnomos: https://bit.ly/ajude-o-rancho

Abaixo, um texto com tudo que é falado no vídeo.

Conhecidos como Dimas e Kátia, os dois ursos-pardos que viviam no zoológico do município de Canindé, no sertão do estado do Ceará, foram transferidos para o Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, em Joanópolis, São Paulo.

O Zoológico São Francisco de Canindé pertence a um santuário religioso dedicado ao santo católico São Francisco de Assis. Todos os anos, a cidade recebe milhares de romeiros que vão até lá homenagear São Francisco.

A conhecida ligação de São Francisco com os animais fez com que muitos romeiros levassem animais à cidade como forma de presente ao santo. Assim, décadas atrás, os religiosos resolveram criar um espaço para cuidar desses animais e foi assim que nasceu o Zoológico de Canindé.

Dimas e Kátia foram parar lá há muitos anos. Dimas era explorado em um circo e foi abandonado há 10 anos no município de Sobral, a cerca de 155 km de Canindé. Resgatado pelo IBAMA, o urso não tinha destino certo e foi levado pelas autoridades para o Zoológico de Canindé. Dois anos depois, uma história parecida levou a ursa Kátia ao mesmo local.

Os dois sofreram maus-tratos na época do circo, tanto que Dimas teve as garras retiradas, é cego de um olho e também não tem parte dos dentes. As mutilações, segundo especialistas, foram feitas para minimizar o risco de acidentes graves durante as apresentações forçadas no circo.

Embora a equipe do Zoológico de Canindé tenha feito o possível para mantê-los bem, o calor do sertão cearense definitivamente não é agradável para animais criados pela natureza para viverem em temperaturas abaixo de zero.

Após ação movida pelas ONGs Deixe Viver e Viva Bicho, a Justiça entendeu que eles deveriam ser transferidos para o Rancho dos Gnomos, já que sua sede fica em meio à Serra da Mantiqueira, no município de Joanópolis, no interior de São Paulo.

Ao contrário das temperaturas do Canindé que facilmente batem os 40º, os termômetros do Rancho ficam em torno dos 20º boa parte do ano e chegam a 10º ou menos em meses mais frios.

Os proprietários do Zoológico de Canindé, assim como a Justiça, também entenderam que a transferência para São Paulo seria melhor para os animais. Assim, após meses de preparativos e negociações, a ação de transferência iniciou-se em 27 de agosto de 2019.

Toda a equipe do Rancho dos Gnomos, formada por veterinários, biólogos e outros profissionais, embarcou com destino à Fortaleza às 21:45 do dia 27. O vôo foi bastante tranquilo e a equipe desembarcou à 01:05 da manhã do dia 28 e foi direto para o hotel.

Quando o dia 28 clareou, a equipe já estava a caminho de Canindé em uma viagem em comboio de cerca de 2 horas. Todo o suporte terrestre foi dado, como sempre acontece, pela empresa Porto Seguro, antiga parceria do Rancho dos Gnomos.

É um apoio realmente imprescindível, pois, além de fazer todo o translado das caixas de transporte com os animais, com guinchos, a Porto leva também a equipe do Rancho. Portanto, fica sempre o nosso agradecimento mais do que especial a esses grandes parceiros da causa animal.
Ao chegarmos a Canindé, parte da equipe foi conferir as caixas de transportes, fabricadas por uma serralheria local. As carretas de transporte do Rancho, que são bem maiores, não puderam ser utilizadas nesta ação, já que elas não caberiam na aeronave que faria o translado dos ursos.

A serralheria local fez as caixas de transporte segundo especificações e projeto enviado, porém, por conta das rodas adicionadas à caixa, o tamanho ultrapassou o limite estabelecido pela Latam Cargo, empresa que cedeu espaço nas aeronaves para os ursos. O problema das rodas foi posteriormente resolvido: elas foram serradas no aeroporto, pouco antes do embarque no avião.

Chegando ao zoológico, encontramos 2 barreiras policiais e apenas pessoas autorizadas tinham passagem livre.

Uma das paredes do recinto onde estavam Dimas e Kátia teve que ser derrubada para passagem das caixas de transporte. O dia inteiro foi de muito trabalho e apenas no início da noite o comboio saiu de Canindé rumo à Fortaleza.

Assim que entraram nas caixas de transporte, os ursos Dimas e Kátia foram rebatizados, como acontece com todos os animais que vão morar no Rancho dos Gnomos. Dimas passou a se chamar Verrú, que significa “força da superação”. E Kátia agora é Mizar, uma estrela da constelação de Ursa Maior.

Após algumas horas de viagem em velocidade reduzida para minimizar o estresse de Verrú e Mizar, o comboio chegou a Fortaleza. Por determinação da Latam Cargo, os animais teriam que viajar em vôos separados. Mizar iria com parte da equipe do Rancho no dia 29 e Verrú seguiria no dia seguinte.

Para aguardar seu voo, Verrú foi para um espaço do exército, no qual a equipe que o acompanhava foi muito bem recebida.

Nas primeiras horas do dia 29, às 02:45 da manhã, Mizar decolou com destino ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Sempre acompanhada por profissionais da saúde animal, Mizar chegou muito bem ao destino às 06:25 da manhã.

Seria preciso, no entanto, aguardar 24 horas até o pouso do urso Verrú. Mizar então foi levada para uma área fechada e protegida a alguns quilômetros do aeroporto de Guarulhos. Ali descansou e ficou o tempo todo sendo assistida pela equipe do Rancho.

Como programado, às 02:55 da manhã do dia 30 decolou o voo com o urso Verrú. Ele chegou às 06:30 da manhã ao aeroporto de Guarulhos. Ali, outra parte da equipe já havia posicionado o caminhão-guincho com Mizar para que o comboio se formasse e fosse até o Rancho.

Não seria possível fazer o trajeto duas vezes, já que a operação envolve escolta e diversos outros recursos que não estariam disponíveis duas vezes. Por isso, houve essa espera e diferença de 24 horas entre a chegada de Mizar e o desembarque de Verrú.

Comboio formado, iniciou-se o último trecho por terra entre o aeroporto de Guarulhos e a sede do Rancho dos Gnomos em Joanópolis. Por volta do meio-dia, chegamos ao santuário. Os caminhões com os animais foram colocados em uma área arborizada e tranquila do santuário. A equipe se revezou para que Mizar e Verrú ficassem descansando até a soltura, que ocorreu no dia seguinte, 31/08.

Durante a operação, notamos muitas pessoas pedindo nas redes sociais para que os ursos fossem soltos no recinto assim que chegassem da viagem. Isso não foi autorizado pelos profissionais da equipe por dois motivos: primeiro, porque os ursos estavam muito cansados e precisam de um tempo de ambientação na casa nova.

Segundo, porque todas as solturas são feitas pela manhã, para que seja mais fácil identificar os locais onde os animais estão dentro do novo recinto. Qualquer eventual problema é mais fácil de resolver durante o dia, com visão clara.

Verrú e Mizar ficaram no mesmo recinto, assim como viviam no Canindé. O recinto tem uma enorme piscina com cascatas, tocas, brinquedos apropriados, espaço de cambiamento e alimentação, e um vasto espaço gramado para eles andarem o dia todo. O recinto foi construído com doações da sociedade ao Instituto Luisa Mell.

Como programado desde o início da ação, logo cedinho no sábado começaram os preparativos para a soltura dos nossos irmãos ursos Verrú e Mizar. Tudo precisa ser feito com os mais altos padrões de segurança e assim aconteceu.

Após ter sua caixa de transporte aberta, Verrú demorou apenas alguns segundos para entrar em sua nova casa e já sair andando por todos os cantos. Não demorou e já entrou na piscina, inclusive.

Mizar foi um pouquinho mais cautelosa, mas só por dois minutos e meio. Logo ela seguiu seu companheiro de recinto e foi conhecer tudo.

A transferência mais complicada da história do Rancho dos Gnomos terminou assim, mas a responsabilidade com esses animais apenas começou. Alimentação, cuidados veterinários e outros custos surgiram.

O Rancho sobrevive apenas com doações de pessoas como você, que se importam com os animais. Se você quer fazer parte deste trabalho, contribua mensalmente com o Rancho. Acesse www.ranchodosgnomos.org.br e torne-se um doador.

Agora, vamos deixar Verrú e Mizar rolar na grama, curtir a temperatura, a piscina e o visual de sua nova casa.

Equipe Rancho dos Gnomos

Marcos Pompeu
Silvia Pompeu

Andréa Filomena Freixeda
Carla Spechoto Mariano
Fabio Chaves
Fábio Futema
Kelli Spitaleti
Lindbergh Barbosa Pessoa Júnior
Susana Pastor Claros Pazini
Sandra Denise Calado
Renan Felix Gonçalves
Vitor Hugo Salgado Mignanelli

43 pessoas agradeceram por este conteúdo.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: