- visualizações

“Gosto mais de bicho do que de gente!” – Pense duas vezes antes de dizer isso


131 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Muita gente desabafa com a frase “Gosto mais de bicho do que de gente!”. Mas, se não acreditarmos no lado bom das pessoas, como poderemos acreditar que um dia a humanidade entenderá que os animais não estão aqui para nos servir?

Quem diz gostar mais de animais do que de seres humanos tem seus motivos. De fato, somos a única espécie que mata por prazer, que explora, tortura e destrói o próprio ambiente onde vive. A raça humana é uma espécie de câncer sobre a Terra, em uma análise mais radical do problema. Porém, não somos todos ruins. Na verdade, as pessoas nascem boas e tornam-se mais revoltadas e agressivas de acordo com o ambiente em que são criadas e se convivem com amor ou com ódio.

Há quem acredite que as pessoas não nascem boas e que já “vêm de fábrica” com a maldade embutida. Isso realmente é discutível, mas o que não se pode discutir é que exemplos de amor e compaixão são capazes de mudar até os corações mais duros. Dizer que você não gosta tanto de pessoas quanto gosta de animais só faz seus amigos e familiares pensarem que não têm valor para você, que não merecem seu voto de confiança. Para piorar, eles vão entender que você se acha superior e desconsiderar seus argumentos em prol dos animais. Uma vez que você não mais acredita na capacidade humana de melhorar, está desacreditando também que um dia haverá a tão sonhada abolição animal. Acreditar nas pessoas é ter energia para lutar também pelos animais não humanos.

Se você quer que as pessoas olhem com mais respeito para todos os animais, acredite nelas, acredite que elas podem melhorar neste sentido assim como você melhorou um dia e lembre-se que muitas pessoas são mais desenvolvidas que você em diversos outros aspectos da vida.

Um bom exemplo do que a bondade e o exemplo de compaixão humanos podem causar está no vídeo “Giving is the best communication” (Doar é a melhor comunicação), de uma operadora de celular tailandesa. Indiretamente, a empresa liga a alimentação vegetariana com um bonito gesto de compaixão. Pessoas mais sensíveis aos problemas sociais estão a um passo de se sensibilizarem com a causa animal (e vice-versa). Está tudo interligado.

Assista ao vídeo | Youtube

Leia também:
O que o veganismo tem a ver com ajuda humanitária?

Publicidade:

131 pessoas agradeceram por este conteúdo.

publicidade


Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: