Investigação mostra beagles sendo envenenados a pedido da ANVISA para liberação de agrotóxico

- visualizações

Investigação mostra beagles sendo envenenados a pedido da ANVISA para liberação de agrotóxico

Há um abaixo-assinado contra isso.


414 pessoas agradeceram por este conteúdo.


A ONG The Humane Society International (HSI) divulgou uma investigação em vídeo em que são expostas imagens de cães da raça Beagle sendo envenenados por um novo agrotóxico.

Os testes em beagles denunciados pela HSI são uma exigência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para liberação de novos agrotóxicos. Os cães que aparecem no vídeo divulgado pela HSI estão sendo torturados em um laboratório dos Estados Unidos, mas com o objetivo de cumprir leis brasileiras.

O novo agrotóxico que será vendido no Brasil após esses testes é da empresa Dow, que se pronunciou dizendo que só fazem esses testes quando as autoridades reguladoras exigem – neste caso, a autoridade reguladora é a ANVISA.

“Embora tenhamos recebido uma carta encorajadora da ANVISA, essa carta não é definitiva. Assim que a indústria receber a confirmação de que este teste não é mais necessário, deixaremos de realizar os testes imediatamente e faremos todos os esforços para reabilitar os animais.” – disse um representante da Dow.

As imagens mostram beagles recebendo altas dosagens do agrotóxico e depois sendo mortos com uma injeção para autópsia. Os pesquisadores avaliam os estragos internos após dias ou semanas de o animal receber as doses do produto. Muitas vezes, esses produtos corroem o interior do animal ou causam forte envenenamento. A dor e o sofrimento desses animais é inimaginável.

Para esse teste específico, os animais serão mantidos sofrendo até julho de 2019, mês em que todos serão mortos para estudo. A HSI está tentando pressionar a Dow para liberar os animais desses testes cruéis por meio de um abaixo-assinado (veja aqui – use o postal code 10001 porque o formulário não aceita CEP brasileiro).

Vale lembrar que, além dos beagles, são usados também ratos e, em alguns casos, macacos e até peixes nesses experimentos toxicológicos. Entre os cães, os beagles são escolhidos pelo porte pequeno e por serem dóceis, fáceis de manipular em laboratório. Segundo a HSI, já existem formas mais modernas e eficazes de conhecer os efeitos nocivos dos agrotóxicos.

Assista ao vídeo | YouTube

AVISO: contém imagens que podem ser consideradas fortes por leitores mais sensíveis à violência gráfica.

414 pessoas agradeceram por este conteúdo.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: