ONGs receberam R$ 11 milhões para promover o fim das gaiolas na produção de ovos de galinha

- visualizações

ONGs receberam R$ 11 milhões para promover o fim das gaiolas na produção de ovos de galinha

De um único doador.


60 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Mercy For Animals, Humane Society International (HSI), Animal Equality, Humane League e Compassion in World Farming receberam, juntas, US$ 3.550.000,00 (mais de R$ 11 milhões) para promover campanhas contra a produção de ovos por meio de gaiolas de bateria.

Gaiolas de bateria são a maneira padrão que a indústria usa para confinar animais no menor espaço possível para a produção de ovos. São usadas também em outros tipos de exploração, como na criação de porcos, mas a crueldade extrema dessa forma de produção fica ainda mais evidente nas granjas produtoras de ovos.

Acontece que a alternativa apresentada pela indústria e apoiada por muitas ONGs é a produção de ovos com as galinhas livres de gaiolas. Daí o termo “cage-free”, em inglês, livre de gaiolas.

Porém, ovos de galinhas criadas fora de gaiolas estão longe de serem produtos éticos. As galinhas criadas nesse tipo de granja ficam amontoadas em barracões, e não soltas na grama verde sendo felizes, como a indústria gosta de tentar fazer o consumidor acreditar. Assim como na produção com gaiolas, a produção de ovos sem gaiolas também mata todos os animais que nascem machos porque eles simplesmente não têm valor comercial.

E daí surge a crítica: como ONGs que se dizem preocupadas com os animais podem lutar contra a produção de ovos em gaiolas e falar pouco ou nada sobre a produção de ovos fora das gaiolas?

No início do mês, o professor norte-americano Gary Francione fez uma publicação onde acusa abertamente a ONG Mercy For Animals de mudar sua ideologia após ter recebido uma grande quantia em dinheiro (veja aqui, em inglês).

Francione atenta para o fato da Mercy For Animals criticar duramente ovos de galinhas criadas fora de gaiolas no passado e, depois da doação, passar a cobrar que as grandes empresas produzam ovos livres de gaiolas.

De fato, em novembro de 2014, a Mercy For Animals publicou um texto onde apontou 5 razões que mostraram que os ovos de galinhas criadas fora de gaiolas não são o que se pensa deles (veja aqui, em inglês). Na publicação, a ONG deixa uma mensagem importante:

“Não acredite no hype [marketing agressivo, exagerado] da indústria de ovos. Com as inúmeras alternativas aos ovos disponíveis hoje para todos os tipos de cozinha, os consumidores podem facilmente retirar ovos de suas dietas em favor de um estilo de vida vegano sem crueldade.” – diz a publicação de 2014.

Em fevereiro de 2016, a Mercy For Animals recebeu US$ 1 milhão em uma única doação, feita pelo Open Philanthropy Project, um fundo filantrópico criado por Dustin Moskovitz e sua esposa, Cari Tuna. Dustin é um dos fundadores do Facebook e tem uma fortuna estimada pela revista Forbes em mais de US$ 13.4 bilhões (veja aqui, em inglês).

No mesmo ano, outras 4 ONGs receberam doações expressivas. Todas as doações, segundo o site oficial do Open Philanthropy Project, foram destinadas a campanhas pelo fim do uso de gaiolas de bateria na produção de ovos. A tabela com as datas e valores das doações, bem como suas respectivas fontes, está no fim desta matéria.

Estaria a Mercy For Animals colaborando para o atual hype da indústria dos ovos, algo que condenava em 2014, antes da doação milionária? Alguns ativistas acreditam que sim, como é o caso do professor Gary Francione.

Três das ONGs apoiadas com essas grandes doações estão presentes no Brasil: Animal Equality, Mercy For Animals e Humane Society International (HSI).

Em nota, Lucas Alvarenga, vice-presidente da Mercy for Animals Brasil, nega que a ONG tenha mudado sua maneira de atuar e afirma que a organização sempre acreditou que o combate às gaiolas de bateria é uma forma efetiva de diminuir o sofrimento dos animais.

“A MFA possui várias frentes de atuação. Nós promovemos o Veganismo para centenas de milhões de pessoas. Mas infelizmente, sabemos que a indústria não irá parar de vender produtos de origem animal do dia para a noite. Por isso, além de promover o veganismo, nós também buscamos reduzir o máximo de sofrimento da maior quantidade de animais. O que o post [de Gary Francione] sugere de forma errada, é que lutar pela redução da crueldade, ou pelo fim das gaiolas, não significa em hipótese alguma promover esses ‘produtos’ para consumo.” – diz a nota, que está na íntegra logo abaixo, no fim da matéria.

Ao acessar o site das 5 ONGs na manhã desta segunda-feira (14), notamos que a pauta pelo fim das gaiolas de bateria na indústria dos ovos está em destaque em todas elas. As doações do cofundador do Facebook realmente fizeram as ONGs focarem nessa questão.

Confira as datas e valores das doações:

Animal Equality
Data: 08/2016
Quantia: US$ 500.000,00 (cerca de R$ 1,5 milhão)
Fonte: clique aqui

Mercy For Animals
Data: 02/2016
Quantia: US$ 1.000.000,00 (cerca de R$ 3,1 milhões)
Fonte: clique aqui

Humane Society International (HSI)
Data: 02/2016
Quantia: US$ 500.000,00 (cerca de R$ 1,5 milhão)
Fonte: clique aqui

Humane League
Data: 02/2016
Quantia: US$ 1.000.000,00 (cerca de R$ 3,1 milhões)
Fonte: clique aqui

Compassion in World Farming
Data: 04/2016
Quantia: US$ 550.000,00 (cerca de R$ 1,7 milhão)
Fonte: clique aqui

Confira, na íntegra, a nota do vice-presidente da Mercy For Animals Brasil:

60 pessoas agradeceram por este conteúdo.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: