Pampas Safari: 20 animais chegaram a ser mortos antes da polêmica, incluindo fêmeas grávidas

- visualizações

Pampas Safari: 20 animais chegaram a ser mortos antes da polêmica, incluindo fêmeas grávidas

E há forte indício de que não foi por doença.


36 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Novas informações sobre o caso do Pampas Safari, em Gravataí, Região Metropolitana de Porto Alegre, dão conta de que 20 animais chegaram a ser mortos antes de toda a polêmica. Antes, o número que havia sido informado era 18.

Uma matéria publicada no jornal Zero Hora (veja aqui), um dos maiores do sul do país, informa que entre os 20 animais mortos, havia 4 fêmeas com filhotes. Os números foram conseguidos pela Fundação Municipal do Meio Ambiente de Gravataí (FMMA) durante uma vistoria no frigorífico que matou os animais.

Não há, no entanto, a confirmação por documentos de que esses animais realmente estivessem com tuberculose, como tem sido afirmado pelo IBAMA e pelos donos do parque.

Um indício muito forte de que esses animais foram mortos para consumo humano, e não por causa da suposta doença. No sistema da Coordenadoria de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (CISPOA), há registro do abate desses animais atrelado a uma nota fiscal no valor de R$ 34 mil.

Imagens feitas por diversas reportagens recentes no local deixam claro que no parque ainda há, além de cervos, muitas emas, zebras, camelos, aves, macacos e outros animais.

Acompanhe tudo que já publicamos sobre este caso (acesse aqui).

36 pessoas agradeceram por este conteúdo.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: