- visualizações

Sadia e Perdigão são alvos da Polícia Federal por crimes contra a saúde pública (salmonela)

Formação de quadrilha, falsificação de documentos, crime contra a saúde pública...


203 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Uma nova fase da Operação Carne Fraca, que em 2017 prendeu executivos da JBS-Friboi, foi deflagrada na manhã desta segunda-feira (5) em cinco estados. Esta fase da Operação Carne Fraca deslocou 270 policiais federais e 21 auditores fiscais.

Pedro de Andrade Faria, ex-diretor-presidente da BRF (Brasil Foods) global foi preso em São Paulo. Ao todo, são 11 mandados de prisão temporária e 27 mandados de condução coercitiva.

A Justiça acusa a BRF, que fabrica os produtos Sadia e Perdigão, de fraudar laudos e usar dados fictícios para esconder um grave problema de contaminação pela bactéria salmonella spp em seus produtos.

Além de crime contra o consumidor pela presença de salmonela, a BRF responderá por falsidade documental, estelionato qualificado, formação de quadrilha, entre outros.

A reação do mercado foi imediata: ainda pela manhã, as ações da BRF na Bovespa caíram 11% e puxaram para baixo também os valores das ações de outras empresas de carnes como JBS-Friboi e Marfrig.

203 pessoas agradeceram por este conteúdo.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: