A ilusão criada pela rede norte-americana Chipotle para vender animais “felizes” em pedaços

- visualizações

A ilusão criada pela rede norte-americana Chipotle para vender animais “felizes” em pedaços


  Achou útil? Clique no coração e agradeça.


A Chipotle caminha em uma linha tênue entre pregar a preocupação com os animais e vender animais mortos. 

Quem assiste ao filme publicitário “The Scarecrow” (O Espantalho), produzido pela renomada empresa Moonbot Studios, de Los Angeles, logo acha que se trata de uma peça preparada por alguma ONG que trabalha em favor dos animais. Nas últimas semanas, milhões de pessoas assistiram ao vídeo no Youtube, que traz a belíssima voz da cantora vegetariana Fiona Apple em sua trilha sonora. Não é à toa que o filme agrada a quase todos. É uma obra-prima da computação gráfica e tem um enredo tocante.

No vídeo (assista aqui), um espantalho se dá conta de que está inserido em um mundo onde a comida é completamente industrializada, onde os animais são tratados como máquinas. Para representar os que comandam toda essa industrialização, os produtores do vídeo utilizaram corvos (muito apropriado).

Sem pensar duas vezes, pessoas que gostam de animais – inclusive veganos – estão compartilhando e transformando o vídeo em um novo fenômeno da internet. Mas há um detalhe que está sendo ignorado em tudo isso: o filme é uma propaganda de uma rede de restaurantes especializada em comida mexicana (com carne). Basta uma rápida olha no site da Chipotle Mexican Grill para entender que o negócio deles é vender animais “criados soltos” e mortos de forma “humanitária” (veja aqui).

O vídeo é uma campanha genial de marketing, mas não foi feito com o intuito de ajudar os animais, como a estória nele faz parecer. É a segunda vez que a empresa faz isso. Antes, foi um vídeo chamado “Back To The Start” (De volta ao início). A Chipotle Mexican Grill tem mais de 900 restaurantes espalhados pelos Estados Unidos e até suas saladas têm “carne na brasa”, “frango grelhado” ou “bife em tiras”. No vídeo publicitário da empresa, o personagem tem dó dos animais e cozinha legumes que ele mesmo planta. Na vida real, no entanto, a empresa cozinha toneladas de pedaços de animais por dia e ganha muito dinheiro com isso, uma vez que “carne orgânica de animais felizes” tem um valor agregado muito maior.

Em outras palavras, o que a Chipotle está dizendo é: “Não consuma nos nossos concorrentes, os animais de lá não viveram felizes. Venha comprar conosco, nós respeitamos os animais e aqui você pode comer com a consciência tranquila.” Fazer as pessoas pensarem assim é um desserviço sem tamanho para a causa animal.

A Chipotle tem uma área em seu site para dizer que só compra animais e seus derivados (leite, ovos etc.) de produtores que respeitam e tratam os animais com dignidade. Na prática, a Chipotle “respeita” e “trata os animais com dignidade” apenas até o momento em que eles são assassinados, desmembrados e transformados em recheio de burrito.

Se ao invés de frangos, bois e porcos tivéssemos cachorros, gatos e tartarugas nos pratos da Chipotle, provavelmente a empresa não teria coragem de ir tão longe para promover seus produtos. Se fosse, certamente viraria alvo de ataques pelas redes sociais.

Se você realmente se importa com os animais, descubra um novo jeito de viver e deixe de consumir carnes, laticínios, ovos e qualquer outro ingrediente de origem animal. Seja vegana(o): www.sejavegano.com.br.

Publicidade:


Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade:

  Achou útil? Clique no coração e agradeça.