- visualizações

Estudo de Harvard com 130 mil pessoas confirma que a alimentação vegana é a mais saudável

A pesquisa durou 30 anos e condenou uso de carnes, ovos e laticínios.


139 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Um novo grande estudo publicado na segunda-feira (1) em pelo menos dois conceituados periódicos científicos confirma que produtos de origem animal fazem mal à saúde.

A pesquisa foi conduzida por Mingyang Song (sobre ele, em inglês), especialista em estudos nutricionais na Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard. O material foi publicado nos periódicos médicos JAMA Internal Medicine (veja aqui, em inglês) e PubMed (veja aqui, em inglês).

O estudo concluiu que aumentar o consumo de proteínas vegetais como feijão, tofu, grão-de-bico e muitos outros em apenas 3% diminui em 10% o risco de vida. Em contrapartida, quem aumenta o consumo de proteínas animais como carnes, laticínios e ovos em 10% tem um aumento de 2% no risco de vida em geral e de 8% nas chances de morrer por doenças cardiovasculares.

Mingyang Song e sua equipe analisaram dados de saúde e nutrição de 131.342 pessoas que foram armazenados por 30 anos. A maioria dos voluntários era do sexo feminino. Foram acompanhadas 85.013 mulheres e 46.329 homens.

Um número ainda mais impressionante foi encontrado com relação ao consumo de ovos. Apenas o fato de substituir a proteína proveniente dos ovos por fontes de origem vegetal aumenta em 19% as chances de viver. O número ficou acima até da temida carne vermelha. Eliminar a carne bovina da dieta diminuiu o risco de morte em 12%.

“No geral, nossos resultados sustentam a importância das fontes de proteína na dieta para resultados de saúde em longo prazo. Nossas descobertas sugerem que as pessoas deveriam consumir mais proteínas vegetais do que animais e quando elas forem escolher entre fontes de proteína animal, peixe e frango são provavelmente as melhores escolhas.” – disse Mingyang Song.

No Brasil, o site do programa Bem Estar, da Rede Globo, deu a entender que o estudo recomenda que as pessoas comam muito peixe e frango. O departamento de jornalismo da emissora utilizou a seguinte frase no subtítulo para dar destaque ao estudo: “Dieta rica em nozes, frango e peixe aumenta tempo de vida” (veja aqui). No mínimo, faltou interpretação de texto.

Os pesquisadores encontraram na análise que a ligação entre o consumo de carnes (peixe, boi, frango, porco etc), ovos e laticínios e o risco de morte apareceu em pessoas que têm pelo menos um fator de risco, como o tabagismo.

A ligação não foi observada em pessoas que tinham hábitos de vida mais saudáveis, ainda que comessem produtos animais. Segundo os autores do estudo, uma possível explicação para isso é que as proteínas vegetais anulam os malefícios causados pelas proteínas animais.

O aumento significativo no desenvolvimento de doenças cardiovasculares e outros problemas de saúde estão diretamente ligados às proteínas de origem animal. Os mesmos nutrientes, quando obtidos a partir de vegetais, reduzem o colesterol e a pressão sanguínea e conseguem aumentar a sensibilidade à insulina, protegendo o organismo também contra a diabetes.

Se você está conhecendo o veganismo agora, saiba que é muito mais do que mudar a alimentação, mas é muito mais simples do que pode parecer. Veja uma página com os primeiros passos para se tornar vegano: www.sejavegano.com.br.

139 pessoas agradeceram por este conteúdo.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: