Governo admite que frangos rejeitados na Europa por salmonela voltam e são vendidos no Brasil

- visualizações

Governo admite que frangos rejeitados na Europa por salmonela voltam e são vendidos no Brasil

JBS, Seara, Sadia e Perdigão envolvidas.


313 pessoas agradeceram por este conteúdo.


Frangos brasileiros contaminados por bactéria salmonela exportados para países da União Europeia estão sendo vetados por lá e, na volta, vendidos em supermercados por aqui.

A informação foi confirmada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) à reportagem publicada na manhã desta quarta-feira (3) na capa do portal UOL (veja aqui).

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), os frangos contaminados rejeitados pela Europa são divididos em dois grupos ao retornarem ao Brasil.

O primeiro grupo é formado pelas aves contaminadas por salmonela que representa risco à saúde da população. Segundo o MAPA, apenas 1% do frango que volta tem esse problema. Neste caso, o animal é cozido e a carne é processada em subprodutos como nuggets, salsichas, linguiças e outros itens à base de frango. Segundo as autoridades, o cozimento elimina o risco à saúde.

O segundo grupo é o das aves contaminadas por tipos de salmonela que não representam risco à saúde, segundo o MAPA. Esses animais são colocados à venda nos supermercados brasileiros in natura, inteiros e congelados, ou seja, do jeito que seriam vendidos na Europa.

Dos frangos vendidos nos supermercados brasileiros, 18% estão contaminados por salmonela. E o governo sabe disso e permite que até 20% esteja. Falamos sobre essa brecha na lei brasileira aqui no Vista-se em março de 2018 (relembre aqui). Na Europa, a lei tolera que apenas 3,3% das amostras tenham a bactéria.

As informações sobre a venda no Brasil de frangos rejeitados pela Europa foram obtidas por uma investigação da ONG Repórter Brasil em parceria com o jornal britânico The Guardian e o Bureau of Investigative Journalism. Só depois é que as autoridades tiveram que admitir o que vem acontecendo. Não foi uma iniciativa do MAPA abrir o jogo.

Boa parte dos frangos que têm sido rejeitados na Europa e vendidos no Brasil são das empresas JBS-Friboi, dona da marca Seara, e da BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão.

313 pessoas agradeceram por este conteúdo.

publicidade


Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: