- visualizações

Equívoco: oncologista afirma que somos uma espécie carnívora e que veganos terão problemas

Entenda, com fontes, porque o que ele disse está errado.


6 pessoas agradeceram por este conteúdo.


O programa Hoje Em Dia, da Rede Record, exibiu na manhã desta sexta-feira (6) uma reportagem sobre o vegetarianismo (assista aqui). A matéria mostra restaurantes vegetarianos e o número cada vez maior de pessoas que deixa de consumir produtos de origem animal.

Parte dessas pessoas tem sido motivada pelo alerta emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que relaciona diretamente o consumo de carnes ao câncer (relembre aqui). Por conta dessa relação, que tornou-se pública e notória, o programa procurou um oncologista, profissional dedicado a estudar o câncer.

O oncologista Cid Gusmão (CRM: 67.191), que não tem nenhuma especialização nutricional em seu currículo (confirme aqui), fez duas afirmações completamente equivocadas sobre o consumo de produtos de origem animal. Primeiro, ele disse que a espécie Homo sapiens é carnívora e que, por isso, o ser humano precisa consumir carne de outros animais. Completo absurdo.

“Dentro da carne você tem proteínas, você tem vitaminas, você tem substâncias que são necessárias para a nossa espécie. Para ela existir. Nós somos uma espécie carnívora. A gente precisa dessas proteínas.” – disse o médico.

É básica e antiga a informação de que a espécie Homo sapiens é, na verdade, onívora. Isso significa que os seres humanos podem consumir tanto alimentos de origem vegetal como produtos de origem animal. Para confirmar isso, basta checar o parecer técnico sobre vegetarianismo do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região (CRN3), o mais ativo e respeitado do Brasil. No documento, de julho de 2015, a informação de que o ser humano é onívoro vem logo na primeira linha (veja aqui).

A segunda afirmação do médico Cid Gusmão é igualmente espantosa. Ele categoricamente diz que pessoas que seguem uma dieta vegetariana estrita, aquela adotada pelos veganos, com certeza terão problemas.

“Aquele vegetariano estrito, que não come nenhuma carne, nenhuma fonte de proteína animal: ele não come carne vermelha, ele não come frango, ele não come peixe, ele não come ovo, ele não toma leite. Essa pessoa com certeza vai ter algum problema ao longo da vida.” – disse.

No mesmo documento do CRN3 citado anteriormente, fica claro que, ao contrário do que disse Cid Gusmão, uma alimentação vegetariana estrita pode sim ser adotada sem maiores problemas.

Para citar mais uma fonte nacional, o Ministério da Saúde, em seu Guia Alimentar Para a População Brasileira, também afirma que uma alimentação sem nada de origem animal pode ser plenamente saudável (veja aqui). Em junho de 2015, a maior associação de nutricionistas dos Estados Unidos reafirmou o que já havia dito antes: uma dieta vegana bem planejada pode ser muito saudável (veja aqui).

Nenhum profissional que não esteja habilitado na área da nutrição pode fazer afirmações sobre como uma pessoa ou sociedade deve se alimentar. As declarações do médico Cid Gusmão na TV são, no mínimo, bastante questionáveis e provavelmente sujeitas à medidas administrativas, aplicadas pelo CRN3.

Em sua página dedicada às denúncias (veja aqui), o CRN3 cita como motivo para denúncia ao órgão o “exercício ilegal da profissão”. Ir à TV e emitir informações completamente equivocadas sobre nutrição parece ser algo passível de denúncia, especialmente por se tratar de um profissional que não é da área. Por isso, já estamos em contato com o CRN3 para colocar a entidade a par das declarações do médico Cid Gusmão.

6 pessoas agradeceram por este conteúdo.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui)

Apoie com R$ 1,00 por mês (clique aqui)

Nossas redes sociais:
Facebook | YouTube | Instagram | Twitter

Publicidade: